Tráfico de influências à descarada

heee

Os maiores grupos económicos portugueses dominam o Parlamento através  das dezenas de parlamentares a quem garantem salários e consultadorias.

Estes deputados colocam-se na posição ambígua que decorre duma dupla representação: do povo que os elegeu e das empresas que lhes pagam.  Assim,quando o deputado Miguel Frasquilho aparece a defender em público o Orçamento de 2014 em nome do PSD, fá-lo porque acredita que o Orçamento é bom para o País, ou porque este favorece a Banca, em particular o Grupo Espirito Santo ao qual deve obediência, enquanto funcionário?

 A promiscuidade é, infelizmente, a regra.
O presidente da comissão de Segurança Social, José Manuel Canavarro, é consultor do Montepio Geral, banco que atua na área da solidariedade.
Na saúde, setor tão sensível, o deputado Ricardo Baptista Leite, é consultor da Glintt Healthcare , empresa fornecedora de hospitais.
Na área da defesa, há interesses privados representados pelo atual presidente da Comissão de defesa, Matos Correia, advogado no mesmo escritório que o seu antecessor na função, José Luis Arnaut, cujo principal sócio é o ex-ministro também da Defesa, Rui Pena.
Na comissão de agricultura, Manuel Issac tutela, em nome do  Parlamento, um ministério que, por sua vez,influencia a atribuição de subsídios a empresas agrícolas em que detém participações.
Também Isabel dos Santos, filha do presidente de Angola e acionista da  Zon, está representada no Parlamento, através do deputado Paulo Mota Pinto, administrador daquela empresa de comunicações.
A lista é interminável e assustadora.
Mas, mesmo assim, no debate sobre regime de incompatibilidades que há dias teve lugar no Parlamento, os deputados que transformaram a Assembleia, a casa da democracia, num escritório de negócios e
favores, nem se dignaram a aparecer para se justificarem.
Para restaurar alguma higiene democrática, exige-se que os deputados promíscuos se decidam: abandonem os cargos que ocupam em empresas que recebem benesses do Estado ou saiam do Parlamento cuja dignidade arruínam.
Se o não fizerem de modo próprio, nem forem censurados pelos seus  pares, terá chegado a hora de pedir uma investigação, a toda a Assembleia, pelo crime de tráfico de influências.
” Paulo Morais
Professor universitário”

Merda seca

Imagem

 

 

 

A Junta de Freguesia do Beato contratou, em Outubro de 2011, uma filha do presidente da vizinha Junta de Freguesia de Marvila para ocupar um lugar de técnica superior nos seus quadros permanentes.

Menos de um mês depois, a junta de Marvila contratou, para o mesmo tipo de funções, uma outra jovem que, passados seis meses, se viria a casar com o presidente da junta do Beato. Estas e outras coincidências verificadas nestas duas freguesias de Lisboa, governadas pelo PS, estão a ser investigadas pelo Ministério Público. In “Público” 27.12.13

Como se fosse grande novidade… Façam um levantamento do grau de parentesco na Administração Pública e abrir-se-á uma caixa de Pandora. Os favorzinhos eleitorais têm que se pagar!

O maior de todos os males

Imagem
“Não me digam que Portugal é uma República, ainda, por cima, com um regime de democracia representativa.
Portugal tem, hoje, um Regime Feudal. E este governo é um conjunto de funcionários, eleitos pelos portugueses, para nos confiscarem os bens e rendimentos de trabalho, a favor de uma nobreza que já nem a brilhantina, no cabelo, lhe dá boa aparência.”   In http://professor-atortoeadireito.blogspot.pt
Direi mais Portugal é hoje e sempre foi um país onde as moscas mudam mas a merda é sempre a mesma. Os ” bons” tachos passam de geração em geração sempre com os mesmos nomes de família. A corrupção é mais que muita e ninguém está interessado em mudar a situação pois toda a gente lucra com ela até nas situações mais praticas do dia a dia. Ao corruptor ainda mais falta lhe faz pois não vive do mérito, vive sim de uma especie de baixa auto-estima cujo a sede de poder é pior que a falta de heroína. Por muito que se grite por muita manifestações que se façam, enquanto a corrupção for a moeda de troca neste país não há nada a fazer.

Porque hoje nasceu o Salvador

Imagem

O Natal da Caganeirice

Imagem

Ei-los que chegam cheios de sacos de plástico abastecidos de merdices para calar a boca depois de um ano de cinismo.

A prima disse mal do primo, a avó não gosta da nora, o pai anda a meter os “cornos” à mãe a torto e a direito, na mesa a faustosa ceia comprada com o cartão Jumbo pois há que fazer boa figura…

Irra não há paciência o Natal é TODOS os dias

Já passou o aperto

autoclismo 

Os Juízes foram bonzinhos, puxaram o autoclismo a tempo e agora bora lá gastar os os 10%.

Cá na terrinha é só cócó!

cócó

Serve este blog para comentar a caquinha que vai neste país.